As 5 mais lindas mulheres da mitologia grega

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Que a mitologia grega é repleta de lindas deusas todo mundo já sabe. Afrodite, Ártemis, Deméter, Hera e todas as outras…

Mas e tirando as deusas, na mitologia também existem mulheres de belezas estonteantes? A resposta é SIM. E tem mais: essas beldades foram inspirações para muitas histórias e lendas que são contadas ao redor do mundo.

Listamos as consideradas mais esplêndidas mulheres da mitologia grega. Veja a seguir:

As mulheres da mitologia grega

Penélope, rainha de Ítaca

mitologia-grega-penelope

A linda e formosa Penélope, esposa de Ulisses. Este foi convocado para lutar ao lado dos helênicos na Guerra de Tróia, demorando muitos anos para voltar.

Icário, pai de Penélope, imaginando que Ulisses não voltaria, queria desposar a filha novamente. Porém o coração da nobre donzela já estava comprometido com seu marido. Ela jamais amaria outro homem! Em seus sentimentos, imaginava que teria Ulisses novamente.

Para amenizar a aflição do pai, comunicou que escolheria um pretendente ao terminar de tecer uma colcha de tricô. A notícia espalhou-se com o vento levando à Ítaca diversos homens do mundo inteiro.

O que ninguém sabia era que Penélope tecia a colcha de dia e a desmanchava à noite, mas seu plano foi descoberto e desmascarado por uma serva.

Irritados, os pretendentes exigiram que a linda moça escolhesse imediatamente um deles, sob pena de morte. Ela decidiu, então, fazer outro plano: Disse que se casaria com o homem que conseguisse atirar uma flecha com o arco de Ulisses.

O que ela não contou foi que o arco possuía uma corda demasiada curta e só o dono tinha a técnica exata para encaixá-la às hastes. Por este motivo muitos falharam, atraindo ainda mais a ira dos pretendentes.

Foi quando um mendigo se propôs a tentar e foi amplamente ridicularizado. Ninguém esperava que aquele pobre homem curvado lograsse êxito, mas ele conseguiu encaixar a corda com maestria!

O tal mendigo apontou as flechas aos pretendentes, matando-os um por um. O homem era Ulisses que havia retornado disfarçado, enfurecido ao ver sua amada Penélope sendo ameaçada de morte, simplesmente pelo fato de ser fiel a ele.

Helena de Tróia

mitologia-grega-helena

É considerada uma das mais belas mulheres da mitologia grega, filha de Zeus e de Leda. Colocou muitos homens a seus pés e por fim, suscitou uma grande guerra.

Desde cedo sabia o que sua beleza despertava aos homens. Aos doze anos foi raptada por Teseu, mas foi regatada pelos irmãos.

Diante de muitos pretendentes, casou-se com Melenau, era rei de Esparta, em um casamento arranjado. A jovem viu-se presa a um homem que não amava e com o passar do tempo, se cansou daquela vida infeliz.

Até que um dia conheceu o príncipe Páris, filho do rei Priamo de Tróia, que foi à Esparta por questões diplomáticas. Envolvida em seu grande amor, resolveu fugir com o troiano, sem imaginar que sua ação traria várias consequências e muitas mortes.

Seu marido em retaliação ao ocorrido, pede ajuda ao seu irmão Agamenon, rei de Mecenas, e partem rumo à Tróia, onde travaram uma guerra que durou muitos anos.

Essa batalha tornou-se uma das histórias mais conhecidas da mitologia grega, já que nelas lutaram grandes heróis como Heitor, Aquiles, Ajax, Ulisses, Enéias e outros.

Leia mais em: Guerra de Tróia, confronto direto

Andrômeda, a princesa da Etiópia

mitologia-grega-andromeda

Outra exuberante das mulheres da mitologia grega é Andrômeda, filha de Cefeu, rei da Etiópia e Cassiopéia.

Sua beleza era tanta que sua mãe Cassiopéia, irritou a Poseidon quando disse que sua filha era mais bonita do que as filhas de Nereu, o velho Mar. Nereu reclamou com o deus dos oceanos sobre o acontecido e Poseidon furioso mandou o monstro marinho Cetus para devastar toda a Etiópia.

Desesperado, Cefeu consultou o oráculo que lhe disse que a única forma de o monstro não destruir seu país seria acorrentar sua filha Andrômeda e oferecê-la em sacrifício ao grande monstro. Assim sendo, Andrômeda foi presa a um rochedo e oferecida à criatura.

Perseu acabara de matar a Medusa e seguia rumo à sua casa, equipado das sandálias aladas de Hermes, e por acaso, quando sobrevoava a Etiópia viu Andômeda acorrentada em perigo. O herói apaixonou-se por tamanha formosura e petrificou o monstro marinho, salvando a princesa e todo o país.

Como gratidão, o rei Cefeu lhe oferece a mão da princesa em casamento.

Eurídice, a inspiração de Orfeu

mitologia-grega-euridice

Mulher de extraordinária beleza, Eurídice encantou e se deixou levar aos encantos do célebre Orfeu, filho do deus Apolo e da musa Calíope.

De todas as mulheres da mitologia grega, foi Eurídice quem roubou o coração do maior de todos os poetas.

Mas a união não durou muito tempo, já que foi amada e perseguida pelo obcecado Aristeu. Na fuga ela pisou em uma serpente e foi mortalmente mordida, indo direto para o submundo.

Orfeu desceu ao inferno atrás de sua amada e lamentou sua morte com Hades, cantando e tocando sua doce lira. Encantado com a linda melodia, o deus do submundo libertou Eurídice com a condição de que Orfeu não a olhasse até que ela estivesse sob o sol.

O instrumentista não resistiu às lembranças de tão bela face e olhou para trás. Na mesma hora Eurídice foi novamente absorvida para o mundo dos mortos, onde tornou-se um espectro.

Leia mais em: Orfeu, o poeta que desceu ao inferno

Psiquê, a mulher que encantou Amor

mitologia-grega-psique

Uma das mais lindas mulheres da mitologia grega e dotada de tamanha beleza, Psiquê atraiu o ciúme de Afrodite, a partir do momento em que os homens deixavam de visitar os templos da deusa para adorar a bela donzela.

Como castigo, a deusa da beleza solicitou que seu filho Eros a ferisse com uma de suas flechas, para que ela se apaixonasse pelo ser mais desprezível da face da terra.

O tiro saiu pela culatra, pois Eros é que acabou se apaixonando pela moça. O filho de Afrodite errou de propósito sua seta e Psiquê passou muito tempo se amar ninguém.

Eros a levou às escondidas para um castelo mágico, onde a vistava todas as noites, na escuridão, sem se mostrar.

Sendo influenciada pelas irmãs de que o amante seria um ser monstruoso, Psiquê preparou uma lamparina e uma faca com a intenção de assassiná-lo. Assim, na escuridão da noite, enquanto Eros dormia, a jovem acendeu a lamparina e foi conferir quem estava ao seu lado.

Neste momento ao invés de ver o ser mais desprezível, contemplou o ser mais lindo do mundo, Eros, o Amor. Estasiada com a cena, Psiquê deixou cair uma gota de azeite quente no ombro do amante. O Amor se feriu!

Ao ver sua amada com a faca na mão e pronta para assassiná-lo, Eros foge dizendo a frase: O amor não sobrevive sem confiança!  share-facebook-200

Leia também

Comentários

comentários