7 curiosidades surpreendentes da Mitologia Grega

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

A Mitologia Grega é repleta de histórias impressionantes que nos deixam boquiabertos, mas que escondem diversos detalhes inimagináveis.

Por isso, reunimos aqui 7 curiosidades da Mitologia Grega que certamente a maioria das pessoas desconhecem.

Você já ouviu falar delas?

Aquiles se disfarçou de mulher para não ir à Guerra de Tróia

mitologia-grega-aquiles

Tétis, mãe de Aquiles, pressentindo a morte do seu filho em batalha, suplicou para que ele não fosse à Guerra de Tróia. Aquiles, então, vestiu-se de mulher e juntou-se às filhas virgens do rei Licomedes.

Desconfiado, o astuto Ulisses dirfarçou-se de mercador e ofertou às virgens diversos adereços como perfumes, tecidos e jóias, além de facas, espadas e escudos.

Enquanto as donzelas correram para escolher seus adornos, uma única se interessou pelos artigos bélicos. Assim Aquiles foi desmascarado e convencido a se juntar ao exército grego.

Leia mais sobre a Guerra de Tróia em: A Guerra de Tróia, Confronto direto

Medusa já foi linda um dia

mitologia-grega-medusa

Medusa era umas das três Górgonas filhas de Fócis, o mar e Ceto, o monstro marinho.

Suas irmãs eram feias e imortais, enquanto Medusa era uma bela mortal de cabelos loiros e sedosos. Foi escolhida por Atena para servir em sem templo.

Poseidon apaixonou-se por Medusa e a amou no interior do templo da deusa da sabedoria.

Enfurecida com tamanho afronto, Atena transformou seus belos cabelos em serpentes venenosas e seu lindo rosto numa aparência monstruosa. De tão feia quem olhava para ela era instantaneamente transformado em pedra.

Leia mais em: Medusa e as Górgonas

Uma ninfa deu origem à flor Girassol

mitologia-grega-clitia

Clítia, uma das ninfas do oceano, apaixonou-se incondicionalmente por Hélio, o sol.

Sem ser correspondida, passava horas de pé, contemplando trajetória do sol do nascente ao poente, sempre acreditando que o toque dos raios solares em sua pele eram na verdade as carícias de Hélio.

Após nove dias seguidos, alimentando-se somente com as próprias lágrimas, os deuses piedosos transformaram seu rosto em flor, seu corpo em caule e seus pés em raízes e lhe deram o nome de Girassol, a flor que sempre acompanha o sol.

 

Os gregos eram enterrados com moedas na boca e olhos

mitologia-grega-caronte2

Com receio de que suas almas vagassem sem rumo por 100 anos às margens dos rios Estige e Aqueronte, os gregos, quando morriam, eram enterrados com moedas de óbulo e dânaca dentro da boca ou sobre os olhos, com finalidade de pagar o tributo ao barqueiro Caronte para lhes atravessar ao mundo dos mortos.

No entanto, dois heróis da mitologia grega conseguiram atravessar sem pagar o tributo.

Orfeu conquistou Caronte com sua encantadora lira. Já Hércules foi atravessado pelo barqueiro, que temeu sua força.

Leia mais sobre Caronte em: 8 figuras quase sempre esquecidas da Mitologia Grega

Cadmo fundou a cidade Tebas, na Grécia, após seguir uma vaca

mitologia-grega-cadmo

Em uma visita ao oráculo, Cadmo, herói da mitologia grega, ficou ciente de que um dia seria rei.

Segundo o presságio, ele deveria seguir uma vaca e fundar a sua própria cidade.

Ao encontrar a tal vaca marcada, Cadmo a seguiu por vários dias até que o animal deitou-se e morreu de cansaço.

O herói passou a chamar a região de Beócia, “a terra da vaca” e levantou a tão famosa cidade de Tebas, qual sempre ouvimos falar em vários contos da Mitologia Grega.

A origem da expressão “narcisista”

mitologia-grega-narciso

Narciso era um lindíssimo rapaz da Beócia, que ao ver seu próprio reflexo em um lago, apaixonou-se pela própria beleza.

Com intuito de abraçar sua imagem, Narciso caiu no lago e afogou-se.

Afrodite, a deusa do amor, transformou seu corpo em uma flor que hoje leva o seu nome.

A expressão narcisista é utilizada em referência àquela pessoa muito vaidosa, que se enxerga como a figura mais linda do mundo e sempre coloca sua beleza em primeiro lugar.

(Bônus Mitologia Grega): O amor que deu origem à amora

mitologia-grega-piramo e tisbe

Píramo e Tisbe eram dois jovens vizinhos apaixonados, mas por pertencerem à famílias rivais, tinham o amor proibido.

Conversavam todas as noites através de uma fenda no muro que separava as casas de seus pais. Nunca haviam se tocado.

Certa noite, os jovens amantes combinaram de se encontrar de baixo da amoreira branca, ao lado da fonte.

Tisbe chegou primeiro e deparou-se com uma leoa bebendo a água da fonte, com a boca ainda ensanguentada de sua última caçada.

A donzela correu para a caverna mais próxima e na fuga, deixou cair seu véu branco que foi destruído e manchado de sangue pelo animal.

Píramos chegou ao local combinado pouco após a evasão do felino e ao notar o véu destroçado e ensanguentado no chão, imaginou que sua amada teria sido devorada. Tomado por imensa tristeza, cravou seu punhal no próprio peito.

Ao retornar à amoreira branca e ao observar o que havia ocorrido, Tisbe pegou o punhal das mãos do amado e também cravou no próprio peito.

O sangue dos jovens, no espirrar das apunhaladas, manchou as amoras brancas para sempre. A partir de então elas se tornaram vermelhas e até hoje liberam o sumo semelhante ao sangue de Píramo e Tisbe.  share-facebook-200

Leia também

Comentários

comentários

Open