Apolo, deus da arte, medicina e juventude

Facebooktwittergoogle_pluspinterest
mitologia-apolo

Apolo é o deus do Sol, da beleza, das artes, da razão, da medicina, da letra e da eloqüência e patrono da verdade, do tiro com arco e da profecia.

Filho de Zeus e Latona, irmão gêmeo de Ártemis, natural da ilha de Delos, é um dos deuses mais famosos do Olimpo.

De uma beleza física sem par, Apolo tinha vasta cabeleira loira, com aspecto varonil e sedutor.

É associado com os preceitos básicos dos gregos: “Conhece-te a ti mesmo” e “Nada em excesso”.

Fundou o oráculo em Delfos, que dava à Grécia conselhos, bons e maus, e profecias claras ou obscuras.

Zeus amava Latona, filha dos titãs Céu e Febe, e da união com Zeus, Latona teve gêmeos. Hera não quis que fossem dados à luz em sítio algum debaixo do Sol, e mandou a serpente Píton expulsá-la de todos os lugares em que ela tentasse descansar.

Posseidon apiedou-se de Latona e fez surgir à superfície do mar a ilha sagrada de Delos, que flutuava debaixo das ondas, e ali a fixou para sempre. Nessa ilha, Latona abraçou a palmeira sagrada e deu à luz Ártemis, que, como parteira, logo ajudou nos trabalhos de parto do seu irmão, Apolo. Desde este momento, nenhum mortal pôde jamais nascer ou morrer na ilha santificada.

Leia mais em: Ártemis, a deusa da lua

Apolo expulsou imediatamente Píton de Delfos, onde a matou com suas flechas e apoderou-se do santuário oracular de Terra, a fim de predizer a vontade do seu pai através da sua profetisa, Pítia.

Apolo salvou sua mãe do gigante Títio que nascera numa caverna da Eubéia e logo cresceu desmesuradamente até atingir uma altura de 300 metros e escalou o céu para violentar Latona. O deus matou-o a flechadas e o aprisionou Inferno. Títio foi estendido de costas, ao passo que dois abutres lhe roíam o fígado.

Apolo amou a ninfa do mar Corônis e dessa união nasceu Asclépio ou Esculápio, deus da cura.

Em uma determinada ocasião, Apolo foi expulso do Olimpo e passou a viver na terra amando várias mulheres, entre as quais Dafne, Cítia e Cimene.

Amou também Jacinto, um jovem que o próprio deus matou por acidente em uma competição de lançamento de discos. Após o terrível acidente, Apolo o transformou em flor que hoje leva o seu nome.

Em torno de Apolo as Musas exerciam suas atividades, cada qual inspirando um tipo de arte.

Seu nome em grego é luz e vida, porque conduz o carro do Sol, tendo no céu o nome de Febo e nos infernos de Apolo.

Apolo é o deus do Sol, da beleza, das artes, da razão, da medicina, da letra e da eloqüência e patrono da verdade, do tiro com arco e da profecia.

Recebeu a lira de Hermes, sendo insuperável ao tocá-la.

Eternamente moço, possuía o dom dos oráculos, sendo Delfos o mais rico e célebre.

Leia também

Comentários

comentários

Open