Cronos e Kairós, as personificações do tempo

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Já ouviu falar em Cronos e Kairós? Ambos representam o tempo, entretanto existem algumas peculiaridades que os diferenciam. Para você entender melhor, faremos aqui uma analogia:

Estavam alguns amigos reunidos quando um deles decidiu relatar como havia sido a sua viagem ao exterior dizendo que ela havia sido razoável, porém com muitos contratempos. Ele ainda seguiu dizendo: “O voo de ida saiu um pouco depois do horário, mas o da volta atrasou bastante, quase quatro horas. Isso me deixou nervoso e estressado com a companhia aérea, que me deixou sem atendimento e informação”.

Um dos amigos disse então: “Esse viajante é Cronos! O tempo para ele tem relação direta com horários, duração, prazo e atrasos. Para mim, tempo é Kairós e tem muito mais a ver com qualidade e valores“.

Com toda certeza, o segundo participante da conversa iria contar a experiência de uma forma diferente e focaria nas oportunidades que teve, de como aproveitou o tempo de espera e das surpresas.

Essa breve história serve apenas para mostrar de uma forma mais ilustrativa a diferença entre essas duas palavras gregas que podem ser traduzidas para nossa língua como “tempo”, mas que possuem sentidos bem diferentes.

Entretanto, o fato é que fica difícil compreender essa linha de pensamento sem se aprofundar um pouco mais na cultura de tudo aquilo que existiu.

Então, continue lendo e saiba um pouco mais sobre Cronos e Kairós. Vamos lá?!

Um pouco mais sobre Cronos e Kairós

mitologia-grega-cronos-e-kairos-p
Cronos era um titã, também chamado de Aeon (eternidade), que personificava, na mitologia grega, o tempo eterno e imortal. Era ele quem governava soberano sobre a cronologia dos deuses imortais.

Esse personagem da mitologia grega era o mais jovem dos titãs, porém era representado como um velho, Senhor do Tempo. Ele era filho de Gaia, a terra, e Urano, o Céu e era, não somente o rei dos titãs, mas também a representação do tempo no seu sentido mais destrutivo, como o tempo que tudo devora.

Esse titã serviu como inspiração para a criação da figura de Chronos, na seita órfica, ao qual chamava de “o deus primordial do tempo”.

mitologia-grega-cronos-e-kairos-1
Cronos tem um importante papel no mito em que castra o seu pai Urano, a pedido de sua mãe Gaia, tornando-se o rei do céu. Desde então o mundo passou a ser governado por uma linhagem de titãs que, de acordo com Hesíodo, era a segunda geração divina.

De acordo com a mitologia, Cronos temia uma profecia de que seria retirado do poder por um de seus filhos. Justamente por isso que ele engolia os seus filhos assim que saíam do ventre da mãe. Essa é uma alusão ao tempo que gera, ao mesmo tempo que devora, ou seja, a cada segundo que termina, se inicia um novo segundo.

Já Kairós era retratado como sendo o oposto de Cronos. Isso porque ele era despreocupado e não dava atenção para o tempo cronológico, para calendários ou mesmo para o relógio. Por isso era considerado como o deus do tempo oportuno.

Ele era representado sempre como uma figura jovem que andava nua, possuía asas nos tornozelos e nos ombros.

Uma curiosidade é que Kairós só tinha uma mecha de cabelo que caía sobre sua testa ao passo que a sua nuca era calva. Isso se torna incrivelmente interessante quando analisamos o motivo de esse personagem ser representado dessa forma.

mitologia-grega-cronos-e-kairos-2
O fato de Kairós só ter cabelo na frente faz uma analogia ao caráter instantâneo do tempo, ou seja, ele só pode ser pego (agarrado pelos cabelos) quando está vindo para nós. Depois que já tiver passado, não há mais como agarrá-lo, assim como o tempo.

Kairós muitas das vezes era colocado como filho de Zeus e Tique, conhecida por ser a divindade da prosperidade e da fortuna.

A relação entre Cronos e Kairós

mitologia-grega-cronos-e-kairos-3
Obviamente, como já foi possível perceber, os gregos utilizavam duas palavras para o tempo: Cronos e Kairós. De dato essas palavras significavam o tempo, porém de maneiras distintas

Isso porque Cronos se referia ao tempo sequencial, cronológico, aquele que se mede. Já Kairós era o momento, algo indeterminado no tempo, um acontecimento especial ou uma experiência oportuna.

Atualmente, podemos dizer que vivemos na realidade do tempo Cronos, algo linear, que vai sempre em frente, sempre implacável, podendo ser até cruel, algumas vezes.

Em uma analogia, é possível dizer que Cronos é tão amedrontador que seguimos o seu ritmo, temendo ser devorados por ele.

Já Kairós diz respeito a qualidade do tempo vivido, um tempo presente nos momentos especiais, que não pode ser mensurado. Esse é o tempo da ocasião, um tempo divino.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre Cronos e Kairós e suas diferenças. Aproveite e não esqueça de compartilhar!

share-facebook-200

Leia também

Comentários

comentários