Gigantomaquia: Deuses vs Gigantes

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

mitologia-grega-gigantomaquia

A Gigantomaquia nada mais é do que a épica batalha que aconteceu entre os deuses do Olimpo e os Gigantes. Essa guerra sucedeu a Titanomaquia, que foi a batalha dos titãs com os deuses do Olimpo e as duas são comumente confundidas entre si.

Todos os acontecimentos da Gigantomaquia tiveram início logo que Zeus e outros deuses venceram os Titãs na Titanomaquia e, com essa vitória, a ordem do Universo se restabelecia novamente.

O que aconteceu foi que Gaia, a deusa mãe, ficou insatisfeita quanto ao destino dos seus filhos preferidos, que foram aprisionados no Tártaro como castigo eterno dado por Zeus assim que foram derrotados.

Revoltada, Gaia então decide incitar seus outros filhos, os Gigantes, a travar uma nova batalha, rebelando-se contra os deuses do Olimpo e seu reinado.

É aí então que se origina a Gigantomaquia, que foi também a última guerra de Zeus, pois depois disso seu governo foi definitivamente estabelecido sobre os deuses, ou seja, essa foi a última contestação que Zeus sofreu sobre seu posto de governante.

O poder dos gigantes e a Gigantomaquia

Os gigantes da mitologia grega eram seres enormes, de uma força descomunal, cabelos espessos e barba comprida. Além de sua grande força eles ainda eram protegidos por artifícios mágicos, o que os tornava seres praticamente invencíveis.

O Destino ainda foi responsável por determinar que um gigante só poderia morrer se fosse atacado por um mortal e um deus ao mesmo tempo. Sabendo disso, para proteger sua prole, Gaia ainda procurou uma erva poderosa, capaz de protegê-los de serem atacados por mortais.

Então, os gigantes uniram toda sua força, a pedido de Gaia, para atacar os deuses do Olimpo e reclamar o trono de Zeus. Sabendo do plano dos gigantes, Zeus se uniu com Hades e Posseidon e juntos começaram a preparar suas armas para a guerra.

Zeus com a égide e o seus raios, Hades com o capacete da invisibilidade e Poseidon com seu tridente, começaram então a reunir outros deuses para a batalha. A fim de cumprir as condições impostas pelo Destino, Zeus pediu que Atena fosse até Héracles para pedir sua ajuda nessa grande batalha, visto que o herói era um mortal.

mitologia-grega-gigantomaquia-4

Do outro lado, em Flegra, na Macedônia, os gigantes apontaram suas lanças e se preparam para o ataque, mostrando seus enormes corpos protegidos por fortes armaduras.

Como ajudantes, Zeus contou com o apoio de Héracles com suas flechas e Dionísio com um bastão e uma tocha, auxiliado pelos Sátiros.

Embora Dionísio seja um deus do Olimpo, ele é o único dentre eles que é filho de uma mortal, Sêmele. Desta maneira pôde ajudar os seres divinos no posto de mortal, devido sua derivação.

O mito ainda conta que, com o passar do tempo, outras figuras vieram para socorrer Zeus, contudo essas citadas acima foram as mais marcantes.

Os Gigantes da Gigantomaquia

Nessa grande e incrível batalha que foi a Gigantomaquia, podemos destacar a participação de 13 importantes gigantes. O primeiro deles é Alcioneu, que foi morto por Héracles com ajuda de Atena, que aconselhou o herói a arrastá-lo para longe de sua cidade natal, visto que o gigante recobrava sua força cada vez que caia e tocava a terra de onde havia se originado.

mitologia-grega-gigantomaquia-2

Héracles e Alcioneu

Porfírio, ao atacar Hera e Héracles, sofreu um feitiço de Zeus para que se apaixonasse pela deusa. Assim, enquanto tentava tirar as roupas de Hera, Porfírio foi morto por um raio de Zeus enquanto Héracles lhe dava uma flechada.

Efialtes foi morto pela combinação de uma flecha proferida por Apolo, que atingiu seu olho esquerdo, e uma flechada proferida por Héracles, que acertou o olho direito. Outra versão diz que Oto e Efialtes, conhecidos como Aloídas, foram castigados, sendo acorrentados em duas colunas tendo que ouvir gritos de corujas por toda a eternidade.

Êurito, por sua vez, foi eliminado por um golpe de bastão de Dionísio, enquanto Clicio foi eliminado por Hécate com golpes de tocha e Mimas morto por Hefesto com ferro em brasa.

Encélado tentou fugir, porém foi atingido fatalmente quando Atena jogou sobre ele a ilha de Sicilia. Atena também feriu Palas e depois utilizou a pele dele para fazer a couraça a qual utilizou até o fim da batalha.

Polibotes sofre uma perseguição de Poseidon através das ondas marítimas, até chegar à ilha de Cós. Lá, Poseidon já enfurecido pegou um pedaço da ilha de Nisiro e jogou sobre Gigante, esmagando-o completamente.

Hermes matou a Hipólito utilizando o capacete da invisibilidade de Hades enquanto Ártemis eliminava Grátion e as Moiras cuidavam de Ágrio e Toas.

Zeus, fazendo uso de seus poderosos raios, tratou de fulminar os gigantes que restaram enquanto Héracles os finalizava com flechadas.

O fato é que a Gigantomaquia foi uma batalha que perdurou por muito tempo, porém só teve fim graças a ajuda de Héracles e dos demais ajudantes que fizeram com que os deuses do Olimpo saíssem vitoriosos.

Conheça aqui os 14 Gigantes da Mitologia Grega

Essa é foi Gigantomaquia, mais uma importante batalha mitológica e agora você já sabe um pouco mais sobre ela. Aproveite e não esqueça de compartilhar! share-facebook-200

Leia também

Comentários

comentários

Open