O reino de Hades

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Abordaremos hoje algumas peculiaridades e curiosidades sobre o Reino de Hades que ainda são totalmente obscuras para muitas pessoas.

A vida após a morte é um grande mistério que aflige todas as culturas e religiões. Será que tudo simplesmente acaba de uma hora para outra ou existe uma plano onde nossas almas são recebidas? Os gregos acreditam que sim, este lugar é o Reino de Hades!

Muito ouvimos falar avulsamente sobre alguns personagens ligados à morte ou ao submundo, como as Moiras, Caronte, Cérbero e etc, mas poucos sabem que existe uma ligação lógica entre eles. É sobre isso que vamos abordar agora. Prepare-se!

mitologia-grega-reino-de-hades
O que acontece quando morremos, segundo a mitologia grega?

1 – As Moiras cortam o fio da vida, assim determinando a morte do indivíduo;
2 – Tânato, a morte, reivindica sua alma;
3 – O indivíduo é sepultado com moedas de óbulo e dânaca dentro da boca. Em algumas versões, sobre os olhos;
4 – Hermes conduz sua alma ao cais de Caronte, o barqueiro do submundo, na entrada dos domínios de Hades;
5 – O indivíduo faz o pagamento ao barqueiro com suas moedas para a travessia dos rios Estige, Aqueronte, Cócito, Lete e Flegetonte;
6 – Chega às portas do Palácio de Hades, o qual é vigiado por Cérbero, o cão de três cabeças;
7 – Ao entrar no palácio, o indivíduo é julgado pelos três juízes do mundo inferior: Éaco, Radamanto e Minos;
8 – Conforme for seu julgamento, ele pode ir para o Tártaro, Campos Elísios ou Campos Asfódelos.

Os 3 juízes do Reino de Hades

mitologia-grega-juizes-do-inferno
Ao adentrar no grande salão do palácio do submundo, o indivíduo se depara com um grande trono, localizado no centro e na parte superior, o qual está sentado Hades, pronto para acompanhar de perto todo o julgamento.

Em um degrau logo abaixo estão localizados outros três tronos menores, onde estão acomodados os juízes do mundo dos mortos. Como já dissemos, são eles Éaco, Radamanto e Minos.

Os juízes foram escolhidos por Zeus e Hades, de acordo com suas descendências e histórico na Terra.

mitologia-grega-juizes-reino-de-hades
Éaco, o piedoso

Éaco é o detentor da chave do inferno do reino de Hades. Filho de Zeus e Egina, em vida tornou-se rei da ilha que leva o nome da mãe. É descrito como um homem piedoso, sábio e justo e por isso tinha a simpatia dos deuses.

Conta a lenda que em uma invasão a seu reino, Éaco perdeu todos os seus combatentes. Encurralado apelou aos deuses, que transformaram as formigas aos seus pés em soldados, os quais chamaram de Mirmidões. Posteriormente eles formaram as tropas de Aquiles na Guerra de Tróia.

No submundo, Éaco era responsável por julgar as almas advindas da Europa.

Radamanto, o severo

Radamanto é representado segurando um cetro. Filho de Zeus e Europa, assim como Minos e Sarpedão. É descrito com um homem íntegro e severo.

De acordo com a lenda, ele reinou em Creta, sendo um dos reis mais populares de todos os tempos. O enciumado Minos o destronou e o expulsou de Creta. Radamanto exilou-se na Beócia, onde casou-se com Alcmena, mãe de Hércules e viúva de Anfitrião. Assim tornou-se padrasto do popular semideus, o qual ensinou as técnicas de manusear o arco.

Radamanto era responsável por julgar as almas da Ásia e da África.

Minos, o dono da palavra final

Minos é aquele mesmo da lenda do Minotauro. Marido de Pasífae, a mulher que copulou com um touro e deu origem ao monstro. Minos também é filho de Zeus e Europa e é descrito como um homem calmo, frio e racional. De acordo com a lenda, é dele o voto final, no caso de indecisão de Éaco e Radamanto.

Existem controvérsias entre a decisão de Zeus e Hades em colocá-lo como juíz, já que ele nunca foi um exemplo como homem em vida. Contamos aqui que ele expulsou Radamanto de Creta por inveja. Em outro episódio, reivindicava 14 jovens à cidade de Atenas como tributo para alimentar o Minotauro. Será que ele seria mesmo digno de julgar alguém na pós-vida?

Tártaro, Campos Elísios e Campos Asfódelos

Conforme fosse o julgamento, a alma do indivíduo era encaminhada a um desses três lugares. Conheça a diferença entre eles:

Tártaro e as chamas infernais

mitologia-grega-tartaro
Este era o local dos homens maus, pecaminosos, criminosos, injustos e tudo de pior que poderia ser em vida.

Um local escuro, quente, tracejado por rios de lava, onde as almas recebiam os mais terríveis castigos para pagarem as atrocidades que fizeram em vida.

Alguns casos famosos de torturas no Tártaro, são os de Sísifo, Tântalo e Íxion, os quais contamos no artigo Os 7 Piores Castigos da Mitologia Grega.

Campos Elísios, o paraíso grego

mitologia-grega-campos-eliseos
Para este local eram encaminhadas as almas boas, das pessoas justas que propagaram a benevolência na sua passagem pelo mundo.

É descrito como um lugar bem iluminado, onde possui um vasto campo verde, florido e perfumado, onde pode-se ouvir as doces melodias das liras. Era pura leveza e diversão dia e noite. Lugar para onde iam os grandes heróis, poetas e sacerdotes.

Campos Asfódelos, o limbo

mitologia-grega-campos-asfodelos
O local conhecido como “lugar nenhum”, destinado às almas que não fizeram mal, mas também não fizeram algum grande feito que justificasse sua ida para os Campos Elísios. Um lugar para pessoas que não tiveram algum significado relevante na vida.

É descrito como um local escuro, sombrio e monótono, com árvores secas e distorcidas, onde as almas não eram castigadas, mas também não recebiam qualquer tipo de benefício. Eram simplesmente fadadas à tristeza eterna.

Agora que você já conhece o Reino de Hades, para onde você iria? Comente!

share-facebook-200

Leia também

Comentários

comentários