Os 5 incríveis rios do submundo

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Segundo a mitologia grega, assim que morremos Tanato reivindica a nossa alma e Hermes nos conduz ao reino de Hades.

Nas Terras do Senhor da Morte precisamos atravessar os cinco rios do submundo, cada qual com sua característica, para chegarmos ao nosso destino final.

Para saber quais são as características dos rios do submundo, seus nomes e o que eles representam, acompanhe!

Os Rios do Submundo

mitologia-grega-rios-do-submundo
Como dissemos, nos domínios do Hades precisamos atravessar até cinco rios para chegarmos ao local onde passaremos a nossa eternidade, ou seja, no Tártaro, nos Campos Elísios ou nos Campos Asfódelos.

Os nomes dos cinco rios do submundo são: Estige, Aqueronte, Cócito, Lete e Flegetonte.

Depois recomendamos a leitura do interessantíssimo artigo O Inferno de Dante, onde eles também são abordados.

Rio Estige

mitologia-grega-rio-estige
Estige era uma ninfa das águas, filha de Tétis e do grande Oceano. De acordo com a lenda, Zeus buscava aliados imortais para a guerra contra os Titãs. Estige foi a primeira a apresentar-se com seus filhos Nike (Vitória), Bia (Força), Cratos (Poder) e Zelo (Rivalidade).

Por ter sido a primeira a jurar lealdade ao deus supremo, Estige foi convertida em um rio sagrado e recompensada como a divindade dos juramentos. Zeus determinou que quem violasse um voto feito a ela estava sujeito às mais duras penas.

O Rio Estige nasce em uma caverna nas proximidades da entrada do Hades e deságua no Tártaro. É o principal e o maior dos rios do submundo. Possui dois afluentes, Cócito e Flegetonte, que abordaremos logo abaixo.

Também é conhecido como o Rio da Invulnerabilidade. Foi no Estige que Tétis mergulhou seu filho Aquiles deixando seu corpo quase todo protegido, só não os calcanhares, onde ela segurou.

Rio Aqueronte

mitologia-grega-rio-aqueronte
Aqueronte era filho de Hélio e Gaia. Diferente de Estige, Aqueronte preferiu lutar a Titanomaquia contra os deuses.

Na grande guerra ele era o encarregado em fornecer água aos Titãs e por isso, com a vitória de Zeus, foi transformado em um rio do mundo inferior.

Em seu leito fica Caronte, o barqueiro encarregado de atravessar as almas até o tribunal dos juízes Éaco, Minos e Radamanto, que decidiam seus destinos.

Desta maneira, Aqueronte é conhecido como o Rio da Tristeza, pois sabe-se que quem o atravessa não volta mais.

Na Grécia Antiga vários rios que em determinado ponto passavam pelo interior da terra eram chamados de Aqueronte. Os gregos também acreditavam que algumas lagoas tinham conexão com o mundo inferior e chamavam-nas de Aquerusia.

Rio Cócito

mitologia-grega-rio-cocito
Cócito é um pequeno rio, que nasce no Estige e na outra extremidade une-se ao Flegetonte. É conhecido como o Rio das Lamentações.

Conta a lenda que os mortos que não eram sepultados deveriam vagar por cem anos às margens do Cócito antes de serem julgados pelos juízes do submundo.

Segundo o poeta grego Opiano, em Haliêutica, Cócito era uma ninfa com quem Hades se relacionava até conhecer Perséfone. Desprezada, pôs-se a chorar descontroladamente. Suas abundantes lágrimas deram origem ao rio das lamentações.

Já Dante Alighieri, em sua descrição do Inferno na Divina Comédia, coloca o Cócito como o lago congelado do nono círculo, sendo ele o lar dos maiores traidores da história.

Rio Lete

mitologia-grega-rio-lete
Lete é o Rio do Esquecimento que nasce da caverna de Hipnos, o Sono, e segue rumo ao submundo. De acordo com a lenda, quem banha-se ou bebe a água do Lete tem sua memória apagada, que pode ser total ou parcialmente.

No mito de Deméter, por exemplo, quando ela foi violentada pelo irmão Poseidon, banhou-se no Lete para esquecer unicamente esse fato traumático.

Outras passagens contam que esse rio faz fronteira com os Campos Elísios. Portanto, para entrar nas terras abençoadas, as almas devem banhar-se nele caindo no esquecimento total.

O poeta romano Virgílio afirmava que os mortos só poderiam reencarnar depois que tivessem suas lembranças apagadas pelo Lete.

Por coincidência (ou não), Lete também é conhecida como a Daemon personificação do Esquecimento, filha de Éris.

Rio Flegetonte

mitologia-grega-rio-flegetonte
Esse é o rio flamejante do submundo grego, o característico rio de lava do inferno.

Diz a lenda que Estige apaixonou-se por Flegetonte, mas foi consumida por suas chamas, até que Hades permitiu que ele adentrasse em seus domínios para unir-se a ela. Assim eles correm lado a lado, mas pouco se tocam.

Para Dante Alighieri, o Flegetonte é o local onde são castigados os assassinos cruéis. Sua águas vermelhas são compostas pelo sangue das pessoas que eles maltrataram e suas margens são vigiadas por centauros que flecham os que tentam fugir.

Sua função é purificar as almas dos mais inescrupulosos pecadores, por isso é conhecido como o Rio da Cura.

Esses são os cinco rios do submundo, você já conhecia? Comente e não deixe de compartilhar! share-facebook-200

L.C. Galahad é mitólogo há 23 anos, sendo a mitologia grega sua especialidade. Seu primeiro contato com o fascinante mundo das lendas gregas aconteceu quando ele tinha apenas quinze anos de idade. Com seus intensos estudos e dedicação tornou-se um profundo conhecedor do universo mitológico. E-mail: lcgalahad@mitologiagrega.net.br

Comentários

comentários