Pigmaleão e Galatéia

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

mitologia-grega-pigmaleao-galateiaSegundo a mitologia grega, a história de Pigmaleão tem origem na ilha de Chipre, na qual ele foi o Rei. Essa figura mitológica, também era um artista muito habilidoso que dedicava muitas horas do seu dia à atividade de esculpir.

Pigmaleão não era casado e havia decidido viver em celibato na ilha de Chipre, visto que não concordava em nada com as atitudes de libertinagem das mulheres do local. A má fama das mulheres locais era tão grande que a ilha ficou conhecida como um lugar de cortesãs.

Tudo isso levou Pigmaleão a voltar-se ainda mais para a arte de esculpir e fez com que ele tentasse um feito inédito: esculpir a mulher ideal, sendo essa a sua obra-prima.

Foi então que Pigmaleão, determinado a nunca se unir com nenhuma mulher, começou a esculpir sua bela donzela, dotada com diversos atributos idealizados pelo escultor.

Ao terminar sua obra, Pigmaleão concluiu que essa era a sua melhor obra, a mais perfeita e a mais bela que já havia realizado. O resultado disso é que ele acabou se apaixonando pela estátua, a qual deu o nome de Galatéia.

O envolvimento do escultor com a sua criação foi tanto que ele até dava presentes a ela, colocava anéis em seus dedos e a adornava com diversas joias e belas roupas.

A paixão de Pigmaleão por sua estátua era tão grande que tornou-a sua mulher, passando a chama-la de “esposa adorada”. Ele ainda fazia carinho na estátua e a beijava, como se realmente estivesse viva.

Entretanto, algo com que ele não se conformava era que sua amada Galatéia era de marfim, sem vida e fria e isso deixava Pigmaleão cada vez mais triste.

Quando a sorte de Pigmaleão mudou

mitologia-grega-pigmaleao-galateia3Pigmaleão sofria muito por seu amor a Galatéa e para mudar isso ele foi a um festival que acontecia em Palea, dedicado à Afrodite, deusa da beleza e do amor. Nessa ocasião ele pediu à deusa que trouxesse para ele uma mulher igual a Galatéia.

A deusa Afrodite, comovida com o grande amor de Pigmaleão, começou a sua busca pela mulher ideal, entretanto, não obteve sucesso ao encontrar a pretendente.

Procurando atender o pedido de Pigmaleão a deusa Afrodite decidiu, então, transformar a estátua em uma mulher de verdade, concedendo-a vida.

Sem saber de nada o escultor encontra sua amada e a beija, notando que agora ela tinha vida, que sua pele era quente e que seus lábios eram macios.

Já Galatéia, quando sente o beijo do amado, abre os olhos, fica ruborizada e imediatamente se apaixona também pelo homem que a criou.

mitologia-grega-pigmaleao-galateia2Depois disso, Pigmaleão pôde se casar com Galatéia, com as bênçãos de Afrodite, e juntos tiveram duas filhas. Uma das filhas do casal chamava-se Metarme e era tão bela que despertou o interesse de Apolo. A outra filha chamava-se Pafos, que foi a responsável por dar origem à cidade de Pafos, também em Chipre.

O mito de Pigmaleão nos dias de hoje

Até os dias atuais o mito de Pigmaleão e Galatéia é utilizado tanto na psicologia como na filosofia. O mito representa o poder da expectativa sobre as ações de outras pessoas.

De tão conhecido o fenômeno chegou a ganhar o nome de “Efeito Pigmaleão” e se refere ao fato de que as pessoas se tornam a imagem que fazemos delas.

Assim sendo, nos relacionamentos íntimos a expectativa que cada pessoa tem a respeito da outra é o que mais influencia e tem relação com o sucesso ou fracasso dessa relação.

Essa é vida de Pigmaleão na mitologia grega e como ela está presente na sociedade moderna. Gostou? Então não esqueça de compartilhar! share-facebook-200

Leia também

Comentários

comentários